Todo estrabismo tem que ser operado?

Popularmente conhecido como ‘olho torto”, o estrabismo é o desalinhamento dos olhos, ou seja, ocorre quando os olhos não olham exatamente na mesma direção ao mesmo tempo. Há vários tipos de estrabismo: o convergente, quando um ou ambos os olhos se movem para dentro, na direção do nariz; divergente, quando um dos olhos se desloca para fora em direção às orelhas ; e o desvio em que o olho vai para cima ou para baixo. Mas afinal, todo estrabismo deve ser operado? Não. Continue leitura e entenda porquê.

Primeiro, nem todos os estrabismos são operáveis. Segundo, só após uma avaliação oftalmológica para descobrir qual tipo de desvio o paciente tem, é possível saber se há ou não a necessidade de cirurgia. A boa notícia é que a maioria dos desvios são tratados no consultório com o uso de óculos e tampão. Quando esses dois métodos não funcionam, aí sim, parte para a cirurgia.

Portanto, a cirurgia só é indicada quando o uso do óculos ou tampão não resolvem o problema. A cirurgia é um método relativamente simples, que envolve corrigir os músculos que fazem o olho apontar na direção errada. É importante ressaltar que, se não tratado, o estrabismo pode causar perda total da visão do olho desviado.

O estrabismo pode surgir nos primeiros meses de vida, nas crianças maiores e nos adultos por razões diversas. Por isso, ao notar o desvio, procure um oftalmologista. Vale lembrar ainda que o estrabismo pode ser tratado e corrigido em qualquer idade, mas os resultados são sempre melhores se o tratamento for seguido à risca e precocemente iniciado.

Visite regularmente seu oftalmologista.

Recent Posts