Julho Turquesa: Mês da conscientização para o Olho Seco

O julho Turquesa começou em 2017 no Estados Unidos, no Brasil surgiu em 2020 por meio de uma parceria entre a Associação dos Portadores de Olho Seco (APOS) e a Tear Film Ocular Surface Society (TFOS).
O objetivo da campanha é informar melhor a população sobre a síndrome do olho seco, doença que afeta milhões de pessoas no mundo e que teve um aumento considerável de casos durante a pandemia.
Em tempos de COVID-19, o uso excessivo de computador e celular está entre as causas mais comuns do olho seco. Além disso, uso do ar-condicionado, transtornos nas pálpebras, uso de lentes de contato, menopausa ou doenças
reumatologicas também são outros fatores relacionados, como explica o médico oftalmologista, Jezrael Lima.
“O olho seco é ocasionado pela lubrificação inadequada da superfície dos olhos devido à má qualidade ou quantidade insuficiente de lágrima. Diante desta disfunção lacrimal, a região ocular pode sofrer com ardência, vermelhidão,
embaçamento, e sensação de secura e/ou de corpo estranho nos olhos”, explica o especialista.
Como evitar a doença?
Segundo o médico oftalmologista, Jezrael Lima, alguns cuidados podem ser tomados para evitar a doença como:
Utilizar colírios lubrificantes indicados por oftalmologista;
Hidratar-se diariamente com cerca de dois litros de água;
Fazer pequenas pausas enquanto estiver em frente a telas, como celular ou computador;
Evitar ambientes com ar-condicionado e usar umidificadores de ar;
Procurar piscar os olhos com mais frequência.
O Tratamento varia conforme o estágio da doença. Geralmente, no início, o oftalmologista, receita colírios lubrificantes. Em quadros mais graves, entretanto, pode ser necessária a utilização de outras medicações via oral ou até mesmo terapia de luz pulsada e procedimentos cirúrgicos.

 Release com informações da Sociedade Brasileira de Oftalmologia (SBO)

Recent Posts